Dark Store: O que é e quais as suas vantagens e desvantagens

Atualizado: 8 de dez. de 2021



Estamos vivendo uma nova era do consumo, impulsionada pela pandemia de Covid-19.


As expectativas elevadas dos consumidores estão pressionando os varejistas a aprimorarem o novo modelo de rede de distribuição omnichannel. Os consumidores querem ter acesso aos produtos comprados de uma forma cada vez mais rápida e onde preferirem recebê-los ou retirá-los.


Contudo, oferecer esse atendimento aprimorado pode ser difícil com a infraestrutura dos centros de distribuição tradicionais; é preciso se aproximar dos clientes para que os resultados ocorram – o que trouxe novo sentido às estruturas de lojas físicas já existentes.


Para entregar mercadorias com agilidade e precisão, é preciso ter um planejamento logístico completo, um controle de estoque exato, rapidez no processamento de pedidos e proximidade física do cliente.


Mas como alcançar essa eficácia estando em uma área industrial, longe dos grandes centros urbanos? A resposta foi o ship-from-store, e a criação das chamadas dark stores.


Se aqui no Brasil o termo ainda não é tão conhecido, em países como os Estados Unidos e o Reino Unido, as dark stores já foram popularizadas por grandes redes varejistas como Walmart, Carrefour e Target.


É uma tendência que começou a se expandir pelo mundo e cresceu sobretudo nos países com maior desenvolvimento do comércio eletrônico. Com o fechamento das lojas físicas e a migração para o e-commerce acelerados pela pandemia, as dark stores vêm ganhando força. Mas o que são elas, afinal?


O que é uma Dark store

Muito utilizado por diversos dos clientes Equilibrium, em especial a rede de farmácias Clamed, uma dark store é um lugar exclusivo para o armazenamento, separação e envio de produtos comercializados on-line. Entretanto, diferentemente dos centros de distribuição tradicionais, que possuem grandes áreas e são localizados em zonas mais distantes, a dark store tem um tamanho menor e fica situada em centros urbanos.


Além disso, as dark stores são fechadas ao público - não contam com gôndolas e tampouco vendedores.


Ainda que sua estrutura interna possa parecer com uma loja convencional para que funcionários tenham agilidade ao montar pedidos, elas funcionam de maneira mais parecida com a de pequenos centros de distribuição, sendo localizadas em áreas mais populosas com objetivo de acelerar as entregas naquela região.


Elas também costumam ter estruturas menores, por isso não geram tantos custos quanto os grandes centros de distribuição, além de proporcionarem economia no processo de transporte e maior celeridade na entrega dos produtos.


Para os clientes, a vantagem se torna a possibilidade de receber as mercadorias no mesmo dia (same day delivery) ou no dia seguinte (next day delivery).


Outras nomenclaturas que podem ser dadas a esse modelo são microhub, minicentro de distribuição urbano, micro-fulfillment center ou hyper local fulfillment center.


Ademais, embora essas lojas não costumem ser abertas ao público, alguns e-commerces permitem que o consumidor faça sua compra online e retire o pedido numa dark store.


A retirada numa delas ou em uma loja física constitui a modalidade conhecida como "Click and Collect", modelo este muito utilizado por grandes varejistas, como nosso cliente Havan.


Algumas redes de lojas e supermercados estão incorporando um modelo híbrido, em que existe uma loja física tradicional e um espaço específico nesta loja para retirada de itens comprados online, funcionando como uma dark store.


Inclusive, muitas dark stores têm sido criadas no espaço físico de antigas lojas que tinham pouco movimento ou davam pouco lucro – as empresas fecharam a loja normal e abriram uma dark store em seu lugar.


Vantagens


De acordo com a pesquisa Global Consumer Insights 2018, conduzida pela PwC, quase a metade dos brasileiros (45%) tem interesse em comprar itens básicos pela internet e dois terço deles (64%) afirmaram estar dispostos a pagar mais caro no frete por uma entrega mais ágil, e se possível no mesmo dia (same day delivery) – meta alcançável a partir da utilização de dark stores.


Além disso, elas aumentam a competitividade do e-commerce. Em 2020, o comércio eletrônico brasileiro conquistou 13 milhões de novos consumidores, segundo pesquisa do Webshoppers 43.


O aumento da demanda ocasionou também o aumento da competitividade. Se a sua loja não apresentar agilidade na entrega, você vai perder vendas - afirma Claudio Felisoni de Angelo, presidente do Ibevar (Instituto Brasileiro de Executivos de Varejo & Mercado de Consumo).


Sem contar que a operação logística a partir de dark stores promove a diminuição do custo com frete para a empresa e para o cliente. Os pedidos também são entregues mais rapidamente e elas são ainda mais um local para retirada de produtos pelo cliente.


Todos os envolvidos na venda online acabam ganhando: a operação do varejista fica mais barata, o comprador paga menos e recebe mais rápido.


Elas permitem também aproveitar lojas físicas que estão com pouco movimento, mas que são localizadas em pontos estratégicos da cidade.


E conforme o tamanho dessas lojas, elas podem continuar abertas ao público funcionando normalmente e possuírem uma área específica dedicada ao fulfillment dos pedidos do e-commerce.


Além da redução dos custos de transporte, ocasionam a redução dos impactos ambientais e emissões de carbono associadas à entrega. Também reduzem os problemas relativos à entrega last-mile e facilitam o atendimento a regiões com alto volume de pedidos, às quais as lojas comuns talvez não conseguissem atender por limitações de espaço e volume.


As dark stores possuem custo reduzido de implantação e operacionalização, não exigindo o mesmo nível de planejamento que o de uma loja normal. Além disso, os custos de construção e adequação também devem ser significativamente menores, sendo uma escolha muito mais acertada do ponto de vista financeiro.


Elas também proporcionam maior eficiência com a adoção de tecnologia nos estágios de recebimento, armazenagem e picking, sendo capazes de processar um grande número de pedidos com alta velocidade.


Isso gera uma experiência única ao cliente, podendo gerar profunda lealdade à marca, maximizando lucros e minimizando o abandono de carrinho, graças a prazos de entrega curtos e/ou facilidades como comprar online e retirar na loja, e comprar on-line e devolver na loja.


Desvantagens


Duas dificuldades para abrir dark stores em grandes centros urbanos são o custo e a disponibilidade do solo – porque um aluguel exorbitante pode matar os lucros.


Por isso, no Brasil, a abertura de (ou transformação de lojas em) dark stores é uma escolha feita mais pelas grandes marcas de varejo, especialmente de alimentos, devido ao grande fluxo de produtos.


Lojistas menores têm preferido operar através do ship-from-store, ou seja, distribuir os produtos vendidos online a partir dos estoques das lojas normais.


Para realizar entre 50 e 100 pedidos por dia, é possível manter a distribuição a partir do estoque. Mais que isso, o fluxo de separação cruza com o fluxo dos clientes físicos, o que pode prejudicar a experiência do consumidor.


Então ter dark stores passa a valer a pena para lojas que recebem mais de 100 pedidos por dia, segundo Aurélien Jacomy, CEO da consultoria de logística Diagma.


Segundo Alessandro Gil, diretor-executivo da Linx Digital, “é preciso contar com tecnologia para fazer a gestão e integração do hub logístico, seja do estoque das vendas online do seu e-commerce como das lojas físicas que estão funcionando de portas fechadas como centros de distribuição. Sem isso, é muito difícil manter a operação e entender onde ela está funcionando e onde ainda tem pontos de melhoria”.


O fato é que muitas empresas que tiveram que migrar para o modelo de dark stores no período da pandemia estão percebendo suas vantagens e oportunidades e devem mantê-lo permanentemente.


Devido ao coronavírus, foi inaugurado um “novo normal” e não há mais volta. Os consumidores que experimentaram a comodidade do e-commerce provavelmente vão continuar fazendo compras on-line.


E, nesse contexto, as empresas que tiverem as melhores condições de fazer entregas rápidas e de oferecerem uma experiência de compra positiva irão se destacar.


Assim, podemos dizer que as dark stores certamente farão parte do futuro do varejo. Mas para que deem certo, é preciso ter uma estratégia e automatizar sempre que possível.


A racionalização de processos e a automação do atendimento de pedidos oferecem a base ideal para que uma dark store funcione na sua melhor versão e conquiste os melhores resultados. Para uma melhor utilização da estratégia de dark stores é importante que você entenda de maneira mais profunda a aplicação do conceito de ship-from-store neste artigo.

0 comentário