Como saber se seu frete está caro



Apesar do crescimento constante das compras pela internet no Brasil, o frete ainda se mostra um obstáculo em potencial. Para os clientes, o valor da entrega passa a impressão de um custo extra, além do que eles esperam pagar pelo produto. É muito possível que esse valor faça muitas pessoas desistir de fechar a compra. Segundo a pesquisa do E-commerce Trends, 82% dos consumidores abandonam o carrinho por conta de um alto valor do frete.


De modo geral, se o valor do frete ultrapassa cerca de 20% do valor da compra, é quase certo que o consumidor pensará duas vezes antes de efetuar o pagamento, podendo simplesmente abandonar o carrinho. Sobretudo se o produto não estiver em oferta por um preço mais baixo do que o consumidor encontraria em uma loja física, onde pode comprar sem pagar o custo adicional do envio, talvez não faça sentido a compra pela internet. Um estudo da GEA (Global Ecommerce Association) mostrou que um dos principais motivos que fazem as pessoas comprarem online é justamente a facilidade de comparar preços de diversos vendedores e comprar pelo menor valor.


A situação fica ainda mais complicada quando o valor cobrado pelo frete é até mais caro do que o próprio produto vendido. Infelizmente, isso pode acontecer, principalmente em lojas online que vendem produtos de ticket baixo, como bijuterias, gibis, roupa íntima, camisetas, artigos de pesca e reforma. Suponha que você precise comprar alguns pregos e um martelo para pendurar quadros na parede de casa. É possível que o valor a ser pago pelo frete desses itens custe mais caro que os próprios itens. O mesmo vale para um par de brincos.


Além do ticket baixo, se sua loja trabalha com apenas um ou dois parceiros logísticos (Correios e apenas mais uma transportadora, por exemplo), provavelmente você está perdendo vendas por conta do frete caro e por não oferecer diferentes tipos de entrega.


O comprador precisa de opções diversificadas para suprir sua necessidade de compra, ou seja, o ideal seria oferecer entrega no mesmo dia para os bairros próximos, frete aéreo para encomendas urgentes ou até mesmo entrega de bicicleta de produtos sustentáveis, por exemplo.


Grandes marketplaces, como a Amazon, oferecem a opção de entrega expressa (dentro de algumas horas no mesmo dia) para a grande São Paulo, e há quem pague. Sem contar no programa Amazon Prime, pelo qual você paga uma mensalidade e todas as suas entregas passam a ser gratuitas (e por consequência você tem acesso a um imenso catálogo de filmes, séries e músicas).


Além de oferecer mais opções de entrega, quanto mais parceiros logísticos você tiver, maior a chance de oferecer frete barato para quem está comprando. Não existe uma transportadora “universal” para o Brasil todo. Algumas possuem frete mais barato para o nordeste, outras para o norte, outras no eixo sul-sudeste. Algumas são melhores para transportar produtos pesados, outras para produtos mais leves, cada uma tem seu perfil de carga e região de atendimento.


Não há como adivinhar em qual região o seu cliente simulará o preço e prazo de entrega. Quanto mais coberta sua loja estiver em parceiros logísticos integrados, maior a chance de oferecer um preço e prazo de entrega compatíveis com a expectativa do cliente.


Tendo isso em vista, é possível utilizar o método de estratégia caracol, começando por ativar parceiros logísticos para entregas locais (no mesmo bairro ou bairros próximos). Depois disso, o caracol começa a se expandir e a loja virtual passa a ativar mais parceiros logísticos para entregas em todo o estado, posteriormente nos estados da mesma região, depois em regiões diferentes, até começar também a ativar empresas para entregas em todo o território nacional e até mesmo internacionais.


Outras estratégias que podem ser implementadas para reduzir o valor do frete, a depender do mercado em que a empresa atua e o seu ticket médio de venda, são:


  1. Diluir o valor do frete montando kits de produtos;

  2. Utilizar um serviço de Fullfillment, terceirizando o armazenamento do estoque e o envio dos produtos;

  3. Aplicar frete fixo de acordo com a região;

  4. Oferecer diferentes opções de frete para o mesmo pedido;

  5. Aproveitar ferramentas tecnológicas para reduzir seus custos de frete;

  6. Criar campanhas de marketing utilizando o frete.

0 comentário

Posts recentes

Ver tudo