Como reduzir seu custo de frete: processos e práticas

Na semana passada publicamos aqui no blog cinco processos e sete tecnologias que podem ser implementados para reduzir os custos logísticos da sua empresa. Se você ainda não leu, confere aqui.


Hoje trazemos mais algumas dicas que podem ajudar a reduzir ainda mais seus gastos com logística. Confira abaixo:


Parte II: Processos e práticas


6. Monitore as contratações de frete


O controle é crucial, só assim é possível identificar o que está dando certo, as falhas, os lucros, os prejuízos, entre outros aspectos fundamentais para o sucesso do negócio. Ao analisar a situação atual da empresa, é possível tomar decisões e formular novas estratégias.


Por exemplo, é possível readaptar as embalagens, para que comportem mais produtos, diminuindo a quantidade gasta, e rever o modelo de transporte, adaptando-o melhor ao tipo de veículo utilizado. No entanto, esse tipo de medida deve ser pensado e realizado sem que a qualidade na prestação dos serviços seja afetada. Afinal, não adianta cortar gastos se isso também vai ocasionar prejuízos para a empresa.


Além disso, o monitoramento dos fretes não acaba na contratação! É importante sempre acompanhar e auditar os seus fretes. O que garante que a transportadora não está apresentando um valor como cotação e cobrando outro na prática? Por este motivo, para você não ficar refém das transportadoras, é importante ter esse processo de auditoria na sua rotina, ele pode ser feito através de planilhas no Excel, mas o ideal é que se utilize um sistema que faça isso de forma automática.


7. Invista na terceirização logística


Uma recomendação da Equilibrium é avaliar a possibilidade de uma logística terceirizada em seu negócio. A terceirização gera diversas consequências positivas, se feita da maneira correta, como simplificação dos processos da empresa, aumentando a eficiência dos seus colaboradores, melhorias na experiência do cliente e, principalmente, redução de custos logísticos.


Tenha em mente tudo aquilo que faz parte do core business da sua empresa e as atividades que geram valor ao cliente. Ao terceirizar a sua logística você consegue ter maior foco na sua operação e entregar valor ao cliente, enquanto as atividades logísticas são desempenhadas por outros profissionais experientes focados exclusivamente nisso. Caso você opte por terceirizar seus transportes, a Equilibrium pode te auxiliar a encontrar os melhores parceiros.


8. Faça a previsão de demanda


Ela pode ser feita com base nos dados da área comercial (histórico de vendas e análise do comportamento do mercado) e da gestão de estoques (giro dos produtos). Ao cruzar essas informações, torna-se possível criar estimativas de qual será a procura dos clientes nos próximos períodos e organizar a aquisição de novos produtos.


Assim, a composição do estoque passa a se basear na realidade do negócio, evitando problemas como faltas, excessos e desperdícios. Tudo isso influencia diretamente nos custos operacionais, na redução de perdas e prejuízos e na otimização do gasto do capital de giro do negócio.


9. Utilize a curva ABC na gestão de estoque


A curva ABC é um método de análise de estoque que classifica os itens por relevância, de acordo com o impacto que as vendas geram no faturamento, no lucro e no giro.


Grupo A


Os produtos dessa classe costumam ter maior valor agregado, o que significa um faturamento satisfatório, altos lucros e possuem um médio giro.


Grupo B


São os principais produtos da empresa, que vendem mais e não são tão caros como os do grupo anterior. Possuem alto giro (já que saem bastante), são responsáveis pela maior parte do faturamento e o lucro é satisfatório, mas não tão alto como nos itens de classe A.


Grupo C


São produtos pouco vendidos, mas necessários para atender a procura de alguns clientes. O giro é baixo, assim como o faturamento e o lucro gerado.


Por meio dessa divisão, fica mais fácil identificar a composição ideal do estoque e evitar problemas como obsolescência, altos custos de manutenção de estoque e prejuízos com a aquisição de itens que ficarão parados.


10. Acompanhe indicadores de desempenho


Os indicadores de desempenho (KPIs) são ferramentas de gestão que ajudam a identificar os resultados dos processos. Eles ajudam a reduzir os custos logísticos por meio da identificação de falhas e oportunidades de melhoria. Sendo assim, deve-se acompanhar métricas como: custos com fretes; custo do estoque; índice de avarias e extravios; e quantidade de reentregas. O ideal é que você tenha poucos KPIs e que estes sejam relevantes, procure registrá-los periodicamente para comparar os períodos, as evoluções, e entender quais ações impactaram nos resultados destes indicadores.


11. Estabeleça metas e limites


A chave para uma gestão eficiente de custos é saber exatamente quais as necessidades e, principalmente, as limitações que a empresa possui para cada atividade. Se você estipula um limite de gastos para determinado processo, é mais fácil motivar toda a equipe para conseguir trabalhar bem com essa limitação.


O mesmo acontece com as metas. Se todos sabem aonde a empresa quer chegar e quais os recursos disponíveis para auxiliá-la a chegar lá, a gestão do trabalho e dos custos fica mais controlada, permitindo, desde o início, uma previsibilidade maior.


Se você quer aprender mais sobre redução de custo de frete, acesse este outro artigo onde falamos sobre Estratégias para reduzir o valor do frete no e-commerce ou implementar o Frete Grátis.


0 comentário